sábado, 19 de novembro de 2011

De perder o sono



Filhos realmente nos fazem perder o sono.
Nos primeiros meses de vida, as madrugadas são companheiras, junto aos choros, mamadas.
Adolescência, dizem ser pior. Filhos que saem de casa, trabalho dobrado.
Filho e sono, ao que parecem, não combinam.
Atualmente estou numa boa fase em relação ao sono das crianças. Tão boa que eu me recolho e quem adormece o apartamento, desligando as luzes e me dando beijinho de boa noite, é o filho mais velho. E olha que ele só tem 8 anos.
Tenho um vizinho que também tem perdido o sono por causa dos filhos. E eles  ainda nem nasceram...
Preocupa-o o mundo que eles encontrarão, poluição, corrupção, educação.
Como sei de tudo isso? Conversas de elevador.
A primeira vez que o vi, ele já estava no elevador. E quando eu abri a porta, ele foi sorrindo e me disse: “pode entrar, eu peso 150 Kg, mas o elevador aguenta 400 e você não pesa tanto assim!”
Espirituoso este meu vizinho! Gosto de pessoas bem humoradas.
Nas outras vezes ele demonstrou uma preocupação geográfica: “você acha bom que um casal de filhos durma no mesmo quarto?”
Bom, quando o apartamento só tem 2 quartos, acho melhor do que dormir no corredor.
E também já me perguntou se eu achava o nosso prédio um bom lugar para se criar filhos.
Depende do seu grau de paciência e tolerância. Aqui não temos nenhuma área de lazer, nada externo, então a criança anda de bicicleta dentro do apartamento, joga bola, e a criatividade deles é imensa. Resta saber se você suportará tanta criatividade.
Mas eu, que não tinha problemas com o sono das crianças, tenho perdido o meu sono ultimamente.
Ocorre de madrugada. Um arrastar de móveis. Ainda bem que eu não tenho medo de assombração. Porque é caso de se pensar em coisas do além.
Na madrugada passada, a sonoridade da madrugada ficou mais clara para mim.
Havia um ritmo no arrastar dos móveis e também uma sonoridade vocal... ( não vou reproduzir aqui, porque o blog não tem finalidade onomatopeica ).
Claro! É o período pré concepção.
Na manhã seguinte, um pouco mal humorada foi perguntar ao porteiro quem exatamente morava  no apartamento acima do meu.
Meu vizinho espirituoso. Claro! Isto explica sua preocupação com os filhos que ele ainda não tem. Agora tudo se conecta.
Ainda bem que muito em breve eu estarei me mudando. Sabe-se lá quanto tempo demorará esta fase de reprodução, e depois que o rebento nascer, virão as madrugadas de choro...
Eu estarei bem longe.
Penso em deixar aqui no apartamento, para o próximo morador, um protetor auditivo. O que vocês acham?

13 comentários:

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, bonitinha a atitude do Bernardo dando beijinho de boa noite.
Adorei a ironia sua ao descrever as peripécias do seu vizinho. Muito engraçado.
Achei muito engraçado isto:
"Havia um ritmo no arrastar dos móveis e também uma sonoridade vocal... ( não vou reproduzir aqui, porque o blog não tem finalidade onomatopeica )".
Genial, Ana Paula. Gosto muito do seu modo de escrever. É tão claro que parece que a gente está vivendo a cena.
Bom final de semana prá você.
Beijos.
Manoel.

Pandora disse...

Eu acho que tou rachando de ri kkkkkkkkkkkk.... Essa coisa dos pais e o sonho é paulera mesmo, mas suponho que a fase pré-consepção seja a insônia mais gostosa pq depois... A julgar pela minha mãe que teve um trabalhão para ensinar os meninos a dormirem em suas camas e jamais teve sucesso completo nisso já que Rafael e Rafaela (23 aninhos e 19) vivem aproveitando qualquer oportunidade para dormir com ela, ainda hoje mainha perde noite de sono quando eles estão com qualquer problema de dor de cabeça padrão a dor de barriga, se eles não conseguem dormir vão atrás dela, fazem manhã, choram e ela acaba indo lá dar uma forcinha!

Ivani disse...

Oi Ana querida, a natureza foi bem generosa comigo nesse sentido. Depois dos 50 anos comecei a perder a audição (efeito colateral da reposição hormonal,
sabia?) e hoje já ouço muito pouco.
Triste? não! triste foi saber que eu mesma colaborei para isso, não investigando a fundo os efeitos devastadores dessa reposição.
Mas não ouvir bem chega a ser um bálsamo. Esses barulhos que tanto incomodam os vizinhos, principalmente de edificios, para mim não existem.
Assim como alarmes, buzinas, ambulâncias, nada me incomoda. A tv de casa fica num volume tão alto que pessoas de minha familia dizem que sabem a programação quando ainda estão no elevador.
Eu devo incomodar o predio todo, mas ninguém reclama!
Seu vizinho está numa fase boa em? aqui entre nós, a melhor...
Beijos, tenha um lindo dia, adorei a pauta de hoje kkkkkk!

Compartilhando Sentidos disse...

É Ana... Alguns dos inconvenientes de morar em apartamento. Quem já não passou por isso? Mais uma bela história escrita de forma leve.

Bjooo

Celina Dutra disse...

Ana Paula,

Adoro seu jeito de contar histórias... Leve ironia que provoca muito riso. seu filho é um encanto!
Girassóis nos seus dias. beijos.

✿ chica disse...

Uma delícia,rsrs E esse vizinho vai ver o que acontece nas noites insones e durante o dia, nem terá tempo pra ouvir barulhos de crianças outras... beijos,acabei de ler tua história de parto.

Maravilha!

beijos,chica, linda semana!

Angi disse...

Amiga,
começar o dia com esse post mara é tudo d bom!
ADOREI!
Não deixa protetor auditivo, a não ser que já esteja tuuuudo certo da venda, porque vai que ele desiste de comprar...
Morar em apartamento é assim, eu tenho sorte, os vizinhos de cima são super tranquilos, é raro eu escutar algum barulho, e do lado, está a venda, então não ouço naaada!
Um beijão em ti e nas crias lindas
BOA SEMANA!

Dani Mãe da Sophia... BH,MG disse...

ehehehe Vizinho espirituoso é ótimo...
Saia mesmo mas antes converse com o vizinho meio sem noção para que ele aprenda um pouco a conviver num condomínio...
Eu fui obrigada a conversar com meu vizinho de cima pq a mulher insistia em andar de tamancos de madeira 23hs meia noite... aí não dá. sorte aí!
boa semana!

Sandes disse...

Adorei a sua maneira de contar o fato, sabia? Muito bom mesmo, hilário! Adorei a parte do acasalamento, rsrsrs... Boa sorte, querida!

Coisas da Vida disse...

Oi Ana!
Adorei o comentário que vc deixou na minha ultima postagem,concordo com vc, não deveriam existir essas datas simbólicas de conscientização, a consciência a respeito das “diversidades”deveria acontecer todos os dias, mas enquanto isso não acontece
sinto no dever de fazer a minha parte, mesmo que seja um movimento minimo. A pesar de ter minha religião, defendo as ideias humanista onde , justiça, respeito, amor, liberdade, solidariedade, etc e de total responsabilidade dos seres humanos pela criação e desenvolvimento destes valores.
Quanto ao seu texto não preciso nem dizer o quanto gosto!! São textos que prendem a atenção e quando acabam fica aquele gostinho de quero
Mais, sem contar que sempre me causam risos... é um misto de sentimento.
Já sou apaixonada pelos seu filhos!
Parabéns!

Maggie May disse...

não sei como é ter filhos, mas sei que deve ser uma preocupação constante sim, é muita responsabilidade, mas no final a maior de conta sim!!!

com relação aos barulhos, é um dos motivos pelo qual prefiro casa…rs

Tina disse...

"Filhos para que tê-los?
Se não tê-los, como sabê-lo!"

Ivana disse...

Ainda não conhecia sua veia humorística, muito bom! Ri muito, tenha um excelente fds, tudo de bom, bjs