domingo, 27 de novembro de 2011

Máquina fotográfica


Alguns meses antes do meu filho nascer, eu fiz uma aquisição importante : uma máquina fotográfica.
E comprei cinco rolos de filme de 36 poses.
A máquina tinha uma tecnologia inovadora que era rebobinar o filme quando este chegava ao final.
Ouvir aquele barulhinho “automático”despertava várias sensações em mim! A ansiedade em mandar logo para a revelação, depois me deliciar vendo as fotos, escolher as melhores para mais cópias.
E assim, mês a mês, meu rebento tinha muitas fotos. Muitas, nem tanto, porque a quantidade de fotos tremidas, cortadas, embaçadas eram muitas também. Então salvava-se das 36 poses, uma dezena de fotos aproximadamente.
Nos primeiros meses do bebê, eu precisa me deslocar até um outro bairro, onde havia uma rua estreita somente de lojas de revelações. Escolhia-se pela simpatia da loja e também pelos brindes oferecidos – uma ampliação, um pôster, desconto no próximo rolo de filmes.
Posteriormente, inaugurou uma loja bem próximo de casa. Colocava o bebê no carrinho e lá íamos para mais uma revelação. Essa era uma loja muito mais moderna que as anteriores. Ali me davam muitas dicas, como por exemplo a maneira de colocar o filme na máquina que poderia render até duas fotos a mais.
Quando havia pouco serviço eles sugeriam que eu esperasse por ali enquanto revelavam. Entre brincadeiras com o Bernardo, dicas de melhorar as minhas fotos, saía de lá com o pacote de retratos, uma ampliação garantida, escolhia alguns modelos para fazerem em “sépia”( parecia mágica poderem transformar uma imagem), já comprava um novo filme e me arriscava em filmes com mais qualidade, usado por profissionais.
E o melhor de tudo: sempre se encantavam com uma das fotos e me pediam para expô-la na vitrine dentro de um belo porta-retratos. Para a vaidade de mãe, não havia nada comparável!
Relutei um pouco em passar para a digital. Lembro-me das inúmeras reportagens que li e ouvi falando da quantidade de pessoas desempregadas por conta do fechamento das enormes fábricas de filmes fotográficos.
Mas, a máquina digital, de repente, estava em minhas mãos.
Foi fascinante poder ver imediatamente a foto e ali eu mesma transformá-la em sépia que tanto gostava, apagar e muitas possibilidades mesmo no meu pouco entendimento de técnicas para fotografar.
Ainda tinha por hábito prender a respiração para não tremer a foto!
Aos poucos fui relaxando.
Lembro-me de uma noite fria de inverno, eu tinha recém descoberto a possibilidade de fazer fotos em movimento e chamei as crianças para fazerem cambalhotas.
Foi pura alegria e muita risada.
Mesmo com as facilidades da máquina digital, não foi tão fácil assim para mim congelar aquele momento no ar.
Para fotos caseiras até que ficaram boas, mas o principal foi a diversão!







E as suas peripécias com uma máquina fotográfica?
Beijo






22 comentários:

Débora disse...

Oi Ana!
Pois é tecnologia. Mas como tudo tem seu lado bom e ruim, não seria diferente com a máquina fotográfica. Antes tínhamos a expectativa de ver como ficaram as fotos, revelávamos logo para não perder, e até mesmo pela própria ansiedade de ver o final...com a digital acredito que perdeu-se essa euforia, mas em compensação temos mais qualidade, e muito mais opções para as fotografias. Mas com ela também revelamos menos, guardamos em pcs, o que corre o risco da perda, em cds, hds...Como fazedora de álbuns, o interessante é a revelação, ter em mãos as fotos, fazer um álbum personalizado para o momento, usando cores, formas e materiais condizentes com o momento, escrever nas folhas dos álbuns onde estão as fotos e os momento alí vividos e eternizar...Sempre que a vontade bater olhar sem medo de perder, ou ser roubada por um vírus...
Um outro dia fizemos um cruzeiro em família e só se via máquinas e máquinas digitais, num cantinho avistei um casal de idosos bem felizes, registrando seus belos momentos em uma máquina bem antiga, daquelas que para passar o filme é necessário puxar um botão e faz um barulhinho, nossa...achei tão estranho num primeiro momento, nostálgico, depois engraçado, até mesmo pelos dois e depois achei legal, estavam se divertindo, registrando e num aparelho do seu tempo, e pelo visto estava muito bem conservada.
Adorei o post.
Bjão

mfc disse...

Brincar com as fotografias foi sempre uma paixão.
Lembro-me do interesse ávido com que lia revistas de fotografia aprendendo sempre mais e mais!
A foto digital veio tornar barato um divertimento que saía bem caro... mas não há nada que chegue ao folhear dos álbuns que retratam toda uma vida!

Beijinhos

mfc disse...

Ahhh... as fotos estão lindas... e os modelos (os filhotes) são espectaculares!

Angi disse...

Adorei,amiga!
Eu já tive uma máquina das mais antigas, de rebobinar, de filmes, enfim...eu gostava, mas quando meu pai comprou a primeira digital da família, eu amei, nada melhor que ver as fotos, poder apagar antes de revelar e ver que não ficou boa, era tão frustrante, não era?
As fotos das cambalhotas ficaram ótimas, ótimo domingo lindona!
Beijo nas crianças

Poesia do Bem disse...

ah! eu amoooo fotos , registrar tudo, ainda tenho dó de quando Alice era menor eu não ter uma máquina boa, mas registrei memso assim.

Aproveito a deixa e peço aos amigos seguidores e leitores que visita-me se tiverem facebbok, nos ajude: Alice está participando de um concursod e fotografia pela RBK fotografia e quem ainda não curtiu a foto de Alice lá me ajuda, basta curtir uma única vez e quem puder compartilhar aos amigos agradeço.Este é um presente de natal que quero dar a ela,coisa de mãe coruja!

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=249007818485680&set=a.249007451819050.71195.100001293900238&type=1&theater


se puder fazer isto por ela agradeço desde já.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, eu adoro fotografia, mas sou "preguiçoso" para aprimorar meus conhecimentos. Tenho livros teóricos, práticos e de dicas. Para não dizer que nunca li, dei uma olhada por cima e parei em capítulos que me interessavam naquele momento. Gosto muito de tirar fotos sem que a pessoa perceba. Acho que fica bem mais natural.
Relutei muito para pegar a máquina digital. A minha "velhinha" que ainda tenho bem guardada tinha diversas opções de regulagem para tirarmos as fotos(antes de fotografar). A digital, a gente tem mais recurso para "trabalhar" a foto depois de tirada. Sempre fica mais artificial. Fica meio "photoshop" né?
Muito boas essas das cambalhotas. Ví também algumas em uma postagem anterior sua.
Vou tentar usar melhor a minha máquina. Por enquanto vai no empírico mesmo.
Maravilhoso domingo para você.
Beijo.
Manoel.

Imac by Artes disse...

Ana Paula querida!
Que delícia ler seu post!
Relembrei lindos momentos assim...Parece que foi ontem? Quanta evolução! As vezes nem conseguimos acompanhar.
Abraços1 Uma linda semana pra ti.

Compartilhando Sentidos disse...

Oi Ana, amei as carinhas dos teus fofos! O post, como sempre, fantástico.

Quanto a perguntinha lá no compartilhando...

http://compartilhandosentidos.blogspot.com/2011/05/eutimia.html

Bjocas e eutimia

Patricia disse...

Quanta foto linda!
Eu sou péssima para tirar fotos. rs
Um dia pego o jeito, enquanto isso faço scrap com as fotos tiradas por quem sabe.
bjs e bom domingo

Tina disse...

Amo fotografias.
Tenho uma máquina da antiga e a guardarei para sempre junto com as sensações tão bem descritas por vc.
Tenho e terei os filmes das fotos antigas.
A minha máquina digital está quebrada, estou meio em crise de não tirar fotos e economicamente a um tempo sem revelar as digitais, pois as revelo, como revelava as da máquina antiga.
Na pasta de fotos para revelar umas 10x36
No armários da sala um número incontável de rostos, sorrisos, momentos revelados, registrados e vistos a toda hora, gosto de tirar, ver, rever, reviver.

Claudia disse...

Ana querida
Adorei o post (como sempre).
Ah, que lembrança boa! Na hora que li, lembrei do barulho da maquina rebobinando o filme!
As crianças tbe tinham muitas fotos da maquina antiga e as de hoje, poucas reveladas...
Eu adoro fotos, mas confesso que alem de tirar, gosto de sair nas fotos tbe!
Grande beijo e uma otima semana

Ivani disse...

olá, sou totalmente ignorante em mat[eria de fotografias. Mas tenho uma historia linda relacionada a elas. Vou fazer uma postagem sobre isso. Aliás voce me deu uma otima ideia.
As fotos das criancas estao lindas. Sua ideia de fale-los pular e rolar foi otima, e deu um resultado bem alegre. Gostaria de contar alguma aventura minha nesse campo, mas infelizmente nao vai dar A minha filha, Juliana é apaixonada por fotografia. A Larissa também, e minha nora entáo, faz disso quase uma profissao. Entao temos fotos lindas aqui em casa por conta delas, porque a vovó aqui ,e um horror.
bom falei demais! adorei suas fotos e as lindas criancas. Beijos Ana, me aguarde com nova postagem sobre o assunto. Beijos

Lacorrilha disse...

Acho que nem preciso de dizer o quanto adoro fotografia, é só espreitar o meu blogue.
Adorei essas fotografias, os putos ficaram o máximo.
Beijocas

Tina disse...

uma semana de simplicidades, paz e alegrias pra vc :)

Paula disse...

O que me cobro é que parei de imprimir... Não pode, né? Bjs.

Anne Lieri disse...

Ana,que fotos mais lindas de seus filhos!São momentos como esses que valem a pena viver!Adorei seu texto1Bjs e boa semana!

Celina Dutra disse...

Ana,
Como me recordei dos micos com uma máquina famigerada que precisava tirar uma tampa sempre que ia clicar. Nunca me lembrava disso. E várias vezes fui alertada para o fato de a tal tampa estar fechada. Lembrei também das revelações e buscas de brindes, etc. Seus filhotes são lindos!Belo texto.
Girassóis nos seus dias. Beijos.

Coisas da Vida disse...

Oi Ana!
A primeira câmera que tive foi uma LOVE ela era descartável!
Love Plus rsrsrs, toda vez que revelava Ganhava outra com filme colorido ultra sensível de 20 poses, a imagem era péssima!!
Quando comprei uma melhor fiquei achando que era fotografa profissional, mas também pudera a imagem melhorou muito!
Adoro fotos! Não estou usando a minha digital na mesma freqüência que usava quando a comprei, mas sempre que a uso costumo revelar as fotos.
Suas fotos ficaram ótimas, adorei as carinhas de sapeca dos seus Filhos lindos!
Beijos!

Mãe de três disse...

Nossa menina eu super adoro tirar fotos, fico inventando poses para meus 3 modelos, pena que o modelo do meio não goste muito da arte, volta meia sai chorando, mais tb não sou nenhuma profissional e adore quando surgiu a digital pois eu perdia um monte de fotos tremendo e cortando as cabeças, kkkk . Hoje já me arrisco e enquanto não tiro a pose que quero não desisto, uma graça as fotos da cambalhota vou tentar e postar lá no site. bjks e boa semana

Laély disse...

Ei, Ana!
Sou desse tempo, também!
As fotos das crianças são de pura alegria.
Nessa onda saudosista descobri uma maquininha com jeito vintage, um graça:
http://brazil.shop.lomography.com/cameras/cameras-mais-vendidas/diana-f-cmyk
Mais um sonho de consumo...
Abraço!

Ivana disse...

Eu gosto de fotografar, as crianças estão lindas, bem felizes como devem ser as crianças. Super beijo,boa noite

Tina Bau Couto disse...

Que saudade da Alê!

Que pequenina e fofa a Julia nesses retratos :)