terça-feira, 29 de novembro de 2011

Segredo da Nona


Que eu não sou lá uma boa quituteira, isso eu já sabia. Mas que eu era tão péssima, realmente me surpreendeu.
Meu bolo de laranja ficou assim:


É preciso colocá-lo dentro do contexto do dia em que foi feito – aquele dia de perder o fôlego por causa da vizinha. Ainda assim não precisava ter ficado tão ruim.
Se bem que, ruim de sabor, não ficou não. Como disse meu filho, o problema foi apenas estético. Todo esfarelado, porém gostoso.
Pensar assim não amenizou o desconforto da minha auto-estima estar lá no chão, principalmente esses dias que eu vi um bolo lindo de aniversário pela internet, e tinha jeito de ser verdadeiro.
Diminuída em minhas aventuras gastronômicas, fui buscar as crianças na escola. Era final da tarde, momento de se pensar no jantar, aquela angústia, mas é preciso manter a cabeça erguida.
E foi no erguer a cabeça que eu encontrei o Sr. Oshiro no meu caminho.
Sua kombi estacionada é de um branco tão alvo que faz inveja até para propaganda de sabão em pó. Um enorme guarda-sol azul turquesa e lá dentro o Sr. Oshiro sentado num banquinho, fritando pastéis pequeninos numa pequena panela e resfriando-os num mini ventilador. É preciso também descrever que todo o interior da kombi é revestido de um papel igualzinho ao de todas as caixinhas e caixas maiores e o próprio banquinho do Sr. Oshiro.
Era tudo o que eu precisava para o jantar: pastéis do Sr. Oshiro!
Então ele me pergunta: “senhora sabe fritar pastel de queijo, nom?”
Controlei o choro que ficou preso na garganta. Se nem bolo de laranja sei fazer, que dirá fritar pastéis de queijo.
Ele leu meus olhos aflitos e explicou calmamente: primeiro coloca palito de fósforo no óleo, quando acender coloca pastéis apenas quatro que é pra óleo não esfriar, senão queijo sai de dentro do pastel.
Era tudo o que eu precisava ouvir, porque não tinha ainda comprado uma caixa de fósforos. E se a energia for programada para ficar desligada novamente?
Comprei fósforos, fritei como me fora ensinado. Sucesso absoluto para o jantar.
Eu agradeci em pensamento o Sr.Oshiro por me falar de fósforos e no meio do agradecimento eu lembrei da Regina.
Ah! A Regina foi uma grande amiga no passado. Grande até no tamanho. Uma italiana alta.
Fazíamos yoga juntas. À medida que a amizade crescia, chegávamos cada vez mais cedo para a aula, só para ficar conversando.
Numa tarde, ela bruscamente interrompeu a conversa e disse que precisava ir ao banheiro. Abriu a bolsa dela que estava ao lado e tirou de lá uma caixa de fósforos.
Eu fiquei horrorizada.
'Regina, você fuma?'
Claro que não! Você não conhece o segredinho da Nona sobre o palito de fósforo?
Deixou a pergunta no ar e saiu apressada.
Demorou tanto que quando voltou, a aula já havia começado e não pudemos conversar.
Para mim foi uma aula péssima. Eu não conseguia me concentrar, quando era para fazer exercícios de respiração tentava disfarçadamente perceber se havia cheiro de cigarro, charuto, cachimbo na Regina e quem disse que no final eu conseguia fazer relaxamento?
Não aproveitei nada da aula, mas a explicação que a Regina me deu, foi proveitosa para uma vida inteira.
Foi a Nona que me ensinou isto, lá na Itália. Quando você for ao banheiro fazer aquelas coisas mais sólidas, leve sempre uma caixa de fósforos. Quando terminar, risque um palito que o cheiro some. Então a próxima pessoa que entrar no banheiro, nem vai perceber que você fez 'aquilo'.”
Essa Nona! Quase pensei errado da Regina...

Você conhecia o segredinho da Nona?  

18 comentários:

✿ chica disse...

Sim,muito usado nos tempos de namoro,Casa com um banheiro apenas e a vergonha falava alto,rsrs

Adorei esses pastéis e até o bolo se o gosto ficou bom, era só fazer um creme de chocolate, colocar por cima e ia parecer uma torta...rs

Linda crônica!!!beijos,chica

Pandora disse...

kkkkkkkkkkkk Que delicia ler seu texto Ana!!! Você narra a vida de uma forma tão saborosa e bonita que compensa qualquer bolo desandado!!!

Silvia disse...

Cést la vie!... ou melhor, è la vita!!...

mfc disse...

Ora hoje temos o Sr. Oshiro e a Regina!
Quanto aos dotes culinários do senhor, não os vou contestar... antes os vou seguir!
Quanto ao fósforo da Regina... já conhecia!
E resulta, sim!

Um post fantástico... mais um!

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, kkkkkkkkk! Que postagem gostosa de se ler. Você é a ironia em pessoa, rs.
Começa com a história do Bolo de Laranja naquele dia trágico de desabafos mil. Ainda bem que o bolo ficou saboroso. Isso é o que interessa.
Depois a "troca de experiências culinárias" com o Oshiro. Disso, aprendi que o fósforo se acende quando o óleo está bem quente. Deu tudo certo.
Em seguida a aula de yoga e a ansiosa curiosidade dos fósforos da Regina, rs...rs.
Quase perde a respiração...,mas era apenas a famosa dica da Nona.
Ao acender o palito de fósforo no banheiro, a combustão queima o gás metano que sai do nosso organismo e aquele odorzinho não muito convidadivo desaparece, não é?
Uma graça essa postagem. Você é muito inteligente e sem querer está montando um livro.
Beijo.
Manoel.

Liz - Como as Cerejas da Minha Janela... disse...

Oi Ana!! sabe que eu arriscaria dar uma mordida nesse bolo de laranja? corajosa...risos!

Vim te gradecer as lindas palavras no post do meu aniversário! brigada de todo coração. Quero ler o post que me indicou, amanhã estou de folga do trabalho e venho ler. Depois te aviso.

Beijos com carinho e muito obrigada!!!

Débora disse...

Oi Ana querida!
Você como sempre narrando o cotidiano de forma leve e alegre.
Quanto ao bolo, acho que deve ter faltado um pouquinho mais de manteiga, mas palpito que me pareceu saboroso.
Quanto aos pastéis me deu água na boca...
E ao segredo na Nona, novidade para mim...rs
Bjão

mfc disse...

Ahhh... queria dizer mais uma coisa... e importante!
Quando um bolo cá em casa se escangalha como aconteceu com o teu, costumo dizer:"Pronto! Agora não o podemos oferecer às visitas... comêmo-lo nós!"
Nhammm... nhammmm...nhammm!

Tina disse...

Pelo desastre com o bolo, a vizinha, a energia, por não saber fritar pastéis e n saber o segredo do palito (serve miolo de pão dormido tb) por ter me lembrado como era bom fazer yoga (não faço mais - tempo, deslocamento, dinheiro), pelas lições q vc tirou do dia-a-dia...

"A fé tá na mulher
A fé tá na maré
Na lâmina de um punhal
Na luz, na escuridão
A fé tá na manhã
A fé tá no anoitecer
No calor do verão
A fé tá viva e sã
Andá com fé...que a fé não costuma faiá"

Patricia disse...

Já tinha ouvido falar desse segredo da Nona, mas nunca fiz. Dá certo mesmo? rs
Quanto ao palito no óleo, esse sim já fiz.

E o importante é que o bolo tenha ficado ótimo, apesar do problema estético!
bjs

Paula disse...

EXCELENTE....

Eu já tinha visto a foto do bolo e fiquei curiosa, mas só vim conferir hoje: o erro de estética, os pastéis e os fósforos, ai meu bom Deus, os fósforos... Eu só conhecia a primeira utilidade. Nem vou falar para Pedro que há a segunda porque criança curiosa é fogo, vai resolver conferir e aí sou eu quem vou acabar com uma história hilariante para narrar no blog! Bjs!!!!

Anne Lieri disse...

Ai Ana Paula,muito divertido o segredinho da nona!Quanto ao seu bolo,não fique triste,eu tb já me atrapalhei em algumas receitas!...rss...Chamo até de experiencias!...rss...vale a intençao!bjs,

ELANE, Mulher de fases! disse...

IH ANA, relaxa, ja aconteceu comigo tb, o bolo, horrível aparentemente, mas uma delícia, essa do fosfóro é massa... minha ex sogra, me ensinou essa, kkkkk, bjoooo e ótima semana!!

Compartilhando Sentidos disse...

Ana, Ana, Ana... Mais um texto divertidíssimo!
Olha, vou te confessar que eu conhecia o truque da caixinha de fósforo... Tá valendo!

Bjo e eutimia.

Coisas da Vida disse...

Ana...
.... Adoro bolo mesmo quando tem problemas estéticos rsrsrsrs!
Sabia que o fósforo era útil, mas sinceramente desconhecia essas outras utilidades. Vou andar com uma caixa de fósforos na bolsa nunca se sabe, a Nona que é mulher prevenida!
Sempre que for fazer alguma fritura lembrarei da sugestão do Sr. Oshiro.
Beijos!

Ivani disse...

oi Ana,nao diria que fiquei com vontade de morder o bolo porque nao dá para morder e sim comer de colher, né? rsrsrsrs
mas acredito que ficou gostoso.
quanto ao fosforo, eu tenho um irmao que já mantém no banheiro um isqueiro, estrategicamente colocado no armario, para esses fins....
e funciona mesmo!
entao ja sabia do truque. Vivendo e aprendendo em Ana Paula?
Estou muito atrasada em minhas visitas. Postagem entao, nem se fala, nao dá tempo mais.
quem sabe amanha?
beijos querida, cá entre nós o seu bolo ficou mesmo bem feinho...rsrsrsrs

Ivana disse...

kkkk
Era tudo que eu precisava pra relaxar e dormir bem, estou rindo até agora, não paro de rir]
Bjo de boa noite

Angi disse...

uhauahuahuahau
pior que conheço, esses dias mesmo, meu irmão veio nos visitar de Brasília, e lá foi ele para o banheiro com o fósforo, assim, acho que depende...que as vezes, fica um pouco o cheiro sim, o cheiro do fósforo,uahuahuaha
E o bolo,amiga?Deve ser a receita que é ruim...=D mas se estava gostoso, acredito no Ber, é o que importa, dane-se a estética!
beijos querida