sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Diário de surpresas


A filha foi em uma excursão com a escola, o dia inteiro fora.
O querer do filho foi o de ficar em casa.
A mãe queria deixar-se surpreender pelo dia, pela vida.
Saímos de mãos dadas sem itinerários, sem paradas definidas e o tempo seria marcado pelos nossos corpos, nada de relógio.

No maior centro financeiro do país, fomos parar sob este céu. Uma ilha, um caramujo bem no meio da mais paulista das avenidas.

E ali ficamos a embalar: infância, pensamentos, poemas...


Tanto embalou e balançou que a perna doeu!


Conduzidos pelo desejo de surpresa, paramos num recital – um quarteto de cordas – e ali esquecemos da fome que balançava no estômago.
Música também alimenta.


O som misturado à luz natural tornou ainda mais belo o vitral.


Uma cena não pode ser fotografada por causa do tumulto.
Então é preciso imaginar:
Um transeunte deita-se no passeio com os pés bem apoiados num gradil e começa a se exercitar ali deitado em compassados abdominais.
É bem sabido o benefício dos exercícios físicos. Há os que estão sempre protelando, deixando pro ano, mas esse foi determinado. Sem se importar com a multidão que tentava passar sem tropeçar, exercitou-se bem a nossa frente, surpreendeu-nos com sua determinação.

Bem, não choveu. Apenas eu queria um grande final para o dia, como nas produções de texto – começo, meio e fim. Achei esta foto boa para encerrar.


Bom e lindo final de semana!

10 comentários:

✿ chica disse...

Realmente um lindo dia, cheio de coisas bem legais e teu final deu um tchan!!!rs beijos,ótimo fds,chica

Ivani disse...

Ah! que lindo texto, e que lindo dia!
Me vi passeando com vocês por essas ruas e avenidas tão lindas do "coração" de S. Paulo.
Gosto dessa cidade, muito.
Meus filhos nasceram aí pertinho, na Frei Caneca, Maternidade S.Paulo.
Tenho laços afetivos com esse bairro, acho tudo muito especial.
Tenho uma filha, a mais velha, que diz sempre assim:- como posso não gostar de lá se foi o primeiro ar que respirei?
Ela ama!
Achei seu passeio delicioso, o Bernardo deve ter adorado.
As fotos estão mesmo muito boas, principalmente do céu azul.
Beijos querida, trouxe-me recordações gostosas demais.

Débora disse...

OI Ana!
Adorei os relatos...uma simples caminhada sem rumo e direção trouxe tantos momentos interessantes...A foto do final está realmente linda!
Julia deve ter voltado da excursão cheia de novidades hem?!
Bjão e um ótimo final de semana

Sandes disse...

Adorei a descrição de seu passeio. Senti-me aí, com vocês, desfrutando da sombra e de um balanço. Até pude ouvir o som que ajudou a iluminar o vitral. Me invejou a determinação do esportista e me tocou a imagem do chão molhado. Lindo, lindo, lindo!

mfc disse...

Que grande dia e que lindas fotos!!

Essa do adiar o exercício físico... assenta-me como uma luva!!!
Ehehehehehe.

Camila Gomes disse...

Lindo o texto!
Que delicia de passeio!
Adoro os seus textos, sou viciada no seu blog..rs

Imac by Artes disse...

Amei sua postagem!
Como é bom passear com o filho,fazer uma programação diferente.Para eles esses momentos são inesquecíveis.
Abraços! Boa noite e um domingo abençoado pra ti.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, que gostoso ler esse texto. Me dá a impressão de uma "improvisação" de vida em São Paulo. Principalmente neste trecho mais nervoso, todavia o saber viver parte de dentro da gente, e quem procura sempre encontra.
Muito bom o seu blog. Bem variado e gostoso de se ler. Nem vou seguí-lo, vou perseguí-lo (rs...rs).
Um ótimo fim de semana para você.
Um abraço.
Manoel.

Aleska disse...

Você tem o dom de fazer o leitor viajar sabia? Beijos!

Lacorrilha disse...

Adorei a fotografia da sombra e a última. Muito o meu género.