quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Projeto dia 10


Dia 10. Dia de participar do projeto 10 em 10 proposto pela Mirys.
A ideia central do projeto é você transformar o seu dia clicando coisas legais. Se ele começou, digamos um tanto “feio”, ao longo de dez horas você começará a procurar beleza para clicar!
Anime-se, deixe a câmera na mão e participe do próximo!

Nosso dia não começou muito bem... Na madrugada crianças com febre. Remédios, choros e afagos.

A arquitetura dos medicamentos transformou-os muito bem. Fosse na minha infância, esta seringa aí ostentaria uma bela agulha na ponta. Ainda tenho a lembrança do cheiro das farmácias, cheiravam à injeção. Hoje estão mais para pefumarias.E as seringas, servem apenas para medir quantidades.

Como não foi possível sair de casa, resolvi fotografar e contar a história de alguns livros. Técnica fotográfica nenhuma, só vontade mesmo de participar!


Este livro deveria ser obrigatório para todo fotógrafo. Por isso eu o tenho, porque ainda quero aprender a arte. E também leitura obrigatória a todos que querem sair por aí pedalando.
Eu vi uma pequena resenha dele numa revista e fui para a livraria comprá-lo. Uma confusão só: não encontravam o livro. Mandavam-me ir no setor infantil. Lá diziam não estar, que eu fosse para o setor adulto. Subi e desci escadas várias vezes e não encontraram o tal livro. Encomendei e pedi que mandassem pelo correio. 
Percebi então um erro nas livrarias: deveria haver um setor, ou uma prateleira destinado aos adultos que comem algodão doce, sentem frio na barriga, sentem medo de fantasmas, comem pipoca doce escondido das crianças, só para não ter que dividir, enfim àqueles que somente estão disfarçados de adultos. Este livro com certeza estaria nesta prateleira.


Certa vez avistei este livro muito acima da minha cabeça. Pedi a um funcionário que o pegasse. Belíssimo. Queria comprá-lo, porém, quando perguntei o preço, estava muito acima do meu orçamento. Economizei durante meses e quando volto para adquirí-lo, ouço que está esgotado na editora. Tive vontade de me jogar no chão e espernear, mas sou um adulto, não fica bem.
Ainda tentei em sebos, mas me diziam que o livro não estava em bom estado.
Entro, depois de muitos meses, numa estranha e pequena livraria, escura, luzes apagadas. O dono me atende e diz estarem fechando. Impossível concorrer com as mega. Tudo pela metade do preço. E o que eu encontrei?! Sim, meu sonho de consumo literário. Além da metade do preço, ainda tive um desconto. Voltei tão feliz, mas tão feliz para casa que agora confesso: nunca li este livro. Acho que foi tão difícil tê-lo que nem sei porque nunca o li. Vai entender o ser humano.

Esse livro foi o primeiro do filho. Ele tinha três anos de idade e houve uma feira do livro na escola, que eu não autorizei a professora a levá-lo porque nestas feiras em escolas eles levam livros-brinquedos, que tocam música, aperta, puxa, etc; além do preço ser desproporcional ( para mais ) comparado às livrarias.
Mas a professora me desobedeceu e levou o guri que agarrou-se neste de matemática. Toda sem jeito, ela me pediu se eu não poderia comprar porque o menino ficara encantado com os cálculos, enquanto os outros queriam livros com carrinhos... Bom me convenceu.


Acho que o livro foi muito útil, ele ganhou semana passada a segunda medalha de ouro em matemática.


Para a Júlia, o primeiro livro escolhido foi este todo em azul. Um ano e quatro meses era a idade dela. Ainda não falava. Mas quando eu li a história, ela pôs-se num choro inconsolável.  Eu corri a trocar a fralda, dar comida. Alguns dias depois, na escolinha, a professora me liga: “corre, vem buscar que a menina está num choro inconsolável, não sei o que aconteceu, foi depois que eu li o livro que ela trouxe”. Anos depois, já bem falante, ela reencontrou o livro em suas coisas e me disse: esse livro é lindo, mas me dá uma tristeza.
Podia ter dito isso com um ano de idade, não é mesmo?

Este livro também é daqueles que precisavam estar no setor adulto-que-sente-frio-na-barriga.
Li um trecho dele na apostila das crianças. Adorei. Quando vi o nome do livro, fiquei inconformada ( sou muito chata com algumas palavras). Gato assassino, isso lá é nome que se coloque num livro infantil? Mesmo assim comprei.


E gostei tanto que comprei o segundo!


Sabendo da necessidade de se fazer exercícios, comprei para mim este exemplar. Ricamente ilustrado, muito bem explicado. Li e reli várias vezes, voltei em capítulos específicos e nunca fiz um exercício. Bom, fica para o ano. 

18 comentários:

Patricia disse...

Ai Ana, me diverti com esse post.
Amei seu post e quero ler todos os livros, vc poderia trabalhar para alguma livraria, ganharia boa comissão. rs
Parabéns pela medalha do Bernardo, e pobre Julia, sentindo tristeza com apenas 1 ano.
bjs

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, gostei tanto dessa postagem que faria um comentário imenso. Acho que temos o mesmo modo de pensar. Imagine: "Gato Assassino", livro para crianças, rs...rs. O título deve ter sido dado por algum repórter desses programas de TV apelativos que versam apenas desgraças humanas, não é?
Esse seu modo de instruir suas crianças é uma verdadeira construção de pessoas de verdade. Parabéns ao seu menino pelas medalhas de ouro em matemática. Gostei mais de você tê-lo incentivado do que propriamente das medalhas, que no decorrer da vida deve ganhar muitas.
"Tadinha" da Júlia. Criança tem uma sensibilidade muito grande, não é?
As farmácias estão virando "super mercados". Se fosse só perfumaria estava bom. Eu até gostava daquele cheirinho de injeção (rs...rs). Só do cheirinho...
O livro sobre fotografias foi uma boa dica. Adoro isso, mas ainda sou inexperiente nessa arte.
Adorei esse trecho de seu comentário, rí muito e estou de acordo com você:

"Percebi então um erro nas livrarias: deveria haver um setor, ou uma prateleira destinado aos adultos que comem algodão doce, sentem frio na barriga, sentem medo de fantasmas, comem pipoca doce escondido das crianças, só para não ter que dividir, enfim àqueles que somente estão disfarçados de adultos. Este livro com certeza estaria nesta prateleira."

É isso mesmo!

Bom, como dia 10, hoje, é dia de clicar em coisa legais, mando uma que acho muito legal, principalmente pela maneira como escreve no blog:
http://www.blogger.com/profile/07314054034959930710
Veja e me diga se não estou certo.
Um ótimo dia para você.
Beijo com carinho.
Manoel.

mfc disse...

Gostei desta quase crónica hora a hora... e sobretudo daquela alegria por teres encontrado o tal livro tão desejado a metade do preço.
Mandela merecia-o, sem dúvida!

Tina disse...

Ai! Ai!
Vc é uma casa velha...cheia de histórias :)

Já cliquei em uma coisa legal (aqui) vou atrás de + nove.

Beijão, melhora para as crianças, força e carinho pra vc.

Débora disse...

Oi Ana!
que post maravilhoso, tirando as crianças doentes...
Amei as dicas, depois vou procurar por alguns.
Espero que estejam melhores viu!
Bjão

Carolina Lima disse...

Ana,
adorei a postagem e o projeto do dia 10.
Pena tê-lo visto já no final do dia e com um turbilhão de coisas para estudar.
Mas, em dezembro farei as minhas 10 fotos! :)
Adoro essas coisas.

Abraços,
Carol
www.umblogsimples.com

Lacorrilha disse...

Parabéns ao rapaz pela medalha. Eu cá nunca pesquei nada de matemática, é mesmo o meu calcanhar de Aquiles.

Chris Ferreira disse...

Oi Ana Paula,
dessa vez eu também participei do projeto.
Adorei as dicas dos livros e parabéns pela segunda medalha do filhote. O livro da Matemática dos bichos valeu a pena.

beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Vanessa disse...

Olá, vim ver sua participação no projeto! Muito legal, isso aí! Livros, muitos livros :-)
Eu também estou participando!
Beijos

Mirys disse...

Adorei as fotos, adorei a disposição de participar, adorei o jeito como você transformou seu dia "doente" num dia cultural!!!

Mas, o que eu mais gostei foi da definição da prateleira dos livros para os adultos que ainda são crianças e estão só disfarçados de adultos. SENSACIONAL!!!!

Bjos e bençãos.
Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Celina Dutra disse...

Ana Paula querida,

kkkkkkkkkkkk GENIAL! Bem humorado, bem contado! Mas não ter o livro tão custoso para achar é um pecado! Amei! Girassóis nos seus dias. Beijos

Angi disse...

ADOREI!
E esse projeto 10 on 10 é muito legal, não participei hoje de bobeira!
Adoro livros, e adorei as dicas, parabéns pro Ber pela medalha, lindão, espero vocês para nossas bandas no metro daqui!
Adoro atividade física,né? Já fiz um tempo de yoga, e amava!
Beijos amiga

Morena disse...

OIIIII,
Adorei uma prateleira p adultos que se fingem de adultos, comer algodão doce e pipoca doce sou viciadaaaaa!!!
Investir nas crianças é sempre bom!!! Parabéns pela medalha
Beijos saltitantes
Bom fim de semana

Debby disse...

Olá Ana Paula
Fantástico o seu 10 on 10...
Meu João Victor tem 01 ano e 07 meses adora ficar comigo na cultura mas ficar quietinho para eu ler para ele hummm é um processo..
Gosta daqueles livros emborrachados....com mais desenhos bem coloridos do que textos.
Dai fico correndo para lá e para cá com ele...ele aumentando a adrenalina dele e a minha endorfina né ??? rsrs
Mas eu amo isso...mas só em saber que ele vai amar o mundo literário para mim já é TUDO !!!
Bjs
Debby :)

Coisas da Vida disse...

Oi Ana!
Se fosse pra definir com uma frase o seu
Post, eu diria que sensibilidade não tem
idade! Maravilhoso!! Amei tudo, a pequena Julia
o seu pequeno matemático e a Ana criança!
Beijos!

Tina disse...

Respondi ao seu comentário lindo lá no post com o lindo poema-carta de Lalau, mas como n sei se vc veria, segue a resposta a domicílio :)

Apoiada Ana.
Envio e dou sempre no Natal as pessoas.

É um lindo poema, linda carta, lindos e valiosos desejos, que expressam pureza, simplicidade, criatividade.

Tem uma frase pertinente, que amo tb e serve para agregar seu comentário, a carta e adicionar ao rol de escolhas nas compras de brinquedos para o Natal:

"Imaginação é apilha que move qualquer brinquedo."

Claudia disse...

Adorei!
Ana querida, conheço o projeto, mas nunca consegui participar. Vou tentar me organizar para o proximo!
O melhor foi o ultimo comentario...rsrsr.
As crianças melhoraram?!
Beijao

Lola disse...

Ai que legal esse projeto! Não conhecia!!